sábado, 12 de agosto de 2017

Sou pai



Como todo mundo, tive muitas emoções na minha vida. Momentos inesquecíveis, recordações que a gente pensa de como vale a pena viver. De todas, a maior foi de ser pai.

Deus me proporcionou a oportunidade de crescer, de amadurecer sendo pai, e acho que aproveitei o presente.

Creio ter sido um pai presente, sabendo que muitas vezes, a qualidade da presença é mais importante do que a quantidade de horas e dias juntos.

Sou pai de meninas. Mulheres lindas, amorosas, que me deram netos lindos, amorosos, e tenho consciência de estar deixando como herança valores importantes, e o recado de, sigam suas escolhas, e sejam felizes.

Falhei. E sofri por ter falhado. Filhos não vêm com manual de instrução, tipo  “como funciona”. Então, tentamos transmitir, quase que intuitivamente o que achamos “certo” e o que achamos “errado”, e aprendemos que não existe nem uma coisa, nem outra, existe o amor e pronto. Criei com amor.

Amo minhas filhas. Brigo com elas às vezes. Fico chateado com isto e com aquilo, mas elas têm consciência do quanto eu as amo, e de como elas são importantes na minha vida e como me fizeram crescer, evoluir. Elas são e sempre serão a minha maior motivação de vida, de que são a personificação do amor que tive, em sua concepção.


Sou pai, e me orgulho de minhas filhas. Disfarço (às vezes) mas sou ciumento, quero o melhor para elas (no meu entendimento de melhor), e posso dizer sem errar, que elas são minhas amigas e que confiam em mim, como confio nelas. Gratidão minhas lindas, por me terem feito vivenciar a paternidade, por terem me dado a chance de ser Homem e um pai de verdade.

Amo vocês queridas e me desculpem por ter invertido a homenagem, mas se sou um pai feliz, é por que vocês são as filhas que qualquer pai queria ter.

 Mas.....não terminou! Ainda tem mais! Tenho também um filho...na verdade um sobrinho, afilhado, mas filho de coração, de afinidade, nascido de minha irmã querida que me confiou a missão de “paidrinho” como ele mesmo me chama e que é o irmão querido das minhas filhas. Um parceiro que está geograficamente distante, mas na alma, no pensamento, sempre perto. Já invertemos os papeis algumas vezes e ele me deu o colo que eu precisava tantas vezes que nem sei, que já choramos juntos e rimos muito também. Já o levei no Playcenter , andamos de bicicleta e comemos pastel de feira com caldo de cana. Me ensinou tudo de informática (que ele é fera) que sabe mais de Beatles do que eu que vivi a epoca.


 Torço por ele, que tantas já passou, e é o meu orgulho, por tudo que conseguiu, por tudo o que conquistou e posso chama-lo de filho, com o peito estufado e os olhos brilhando. A ele também minha gratidão pela chance de te-lo como amigo acima de tudo, confidente quando ele sai da casca (heheh), como eu. A você meu querido, minha homenagem invertida também. Te amo muito.
Bem, como perceberam, sou pai, um pai feliz, realizado com os filhos que tenho.
beijo pra quem é de beijo, abraço pra quem é de abraço





Nenhum comentário:

Postar um comentário